4 de mar de 2010

Um lugar à beira-mar


Existe um lugar muito lindo...

uma rua e um mirante
um avarandado de cor branca
à beira-mar

de lá eu vejo as águas do mar
indo e vindo
num terno balanço
ou agitadas, como se tivessem pressa de existir
 

o sol refletido nas águas
deixa um rastro brilhante,
como o caminho das pedras amarelas

uma faixa de terra no meio do mar, imponente!
adoro informar que é uma península, gosto do nome.
e é realmente uma península

lá o horizonte não é só uma linha
pois o espírito dos que lá estão
é de gênio escritor
imaginam abismos, monstros marinhos, cidades submersas
mundos, vidas, lugares, músicas, sorrisos, soluções...

lá fico com meu amor, em silêncio
vendo o céu confundir-se com o mar
sentindo o vento no rosto
sentindo o cheiro da felicidade

olhando para a mesma direção
se não com os olhos da face
certamente com os olhos da alma

fazemos parte do cenário, como num quadro...
 
... como em La Promenade Sur La Falaise, de Monet
integrados ao lugar.

3 comentários:

  1. Que lindo, Marcia...
    O poema e a imagem. Ficaram fascinantes!

    Estava sentindo falta dos seus posts... eu sumi esses dias pq deu problema no meu pc.
    Espero que esteja tudo bem contigo também.

    Beijos... tenha uma ótima noite.

    ResponderExcluir
  2. Oi Naty,

    Obrigada pelo carinho!

    Estive com probleminhas de saúde, mas já está tudo bem.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Adorei esse poema!
    Conectar-se a natureza inspira o amor!

    Beijo, Marcia!

    :)

    ResponderExcluir

Deixa a impressão que domina seu espírito saltar de si.