30 de nov de 2009

Poema da amante

Recebi hoje de um amigo este lindo poema de Adalgisa Néri , com o belíssimo intuito de ajudar a ilustrar meu blog.

Penso que este é o primeiro de uma série.

Agradeço-te amigo!


*É para você, amor!

Eu te amo
Antes e depois de todos os acontecimentos
Na profunda imensidade do vazio
E a cada lágrima dos meus pensamentos.

Eu te amo
Em todos os ventos que cantam,
Em todas as sombras que choram,
Na extensão infinita do tempo
Até a região onde os silêncios moram.

Eu te amo
Em todas as transformações da vida,
Em todos os caminhos do medo,
Na angústia da vontade perdida
E na dor que se veste em segredo.

Eu te amo
Em tudo que estás presente,
No olhar dos astros que te alcançam
Em tudo que ainda estás ausente.

Eu te amo
Desde a criação das águas,
desde a idéia do fogo
E antes do primeiro riso e da primeira mágoa.

Eu te amo perdidamente
Desde a grande nebulosa
Até depois que o universo cair sobre mim
Suavemente.

Adalgisa Néri

Um comentário:

  1. Amor, respondo-te com outro - já partilhado:

    (...)

    'Te amo sem saber como, nem quando, e nem onde'.
    Simplesmente te amo, sem complicações, nem orgulho.

    (...)

    Tão profundo que a tua mão, no meu peito, é a minha mão.
    Tão profundo que quando eu fecho os olhos, eu contigo sonho.

    ResponderExcluir

Deixa a impressão que domina seu espírito saltar de si.