13 de set de 2012

Sobre ser ferido pelo irmão

Olá, queridos!

Hoje vamos falar a respeito de como eu, cristão, devo agir quando ferido por alguém.

Nós cristãos temos o dever de amar o próximo; o irmão em Cristo é também nosso próximo, logo, temos o dever de amá-lo.

Como o próprio Jesus em pessoa falou: amar ao próximo é o segundo mandamento e não há outro maior que este e o primeiro, que é amar a Deus.

Não se pode amar a Deus sem amar ao irmão. "Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?" (1 João 4:20)

O verdadeiro amor está descrito em I Coríntios 13; este é o amor de Deus e o amor que devemos nutrir por nosso irmão.

O amor é sofredor, não busca seus interesses, não se irrita, não suspeita mal, tudo sofre, tudo suporta e etc.

Jesus também ensina-nos a perdoar sempre. E mesmo que não tenhamos feito nada a nosso irmão devemos procurar nos reconciliar com ele. ( Mateus 5:23-24; 18:21-22)

Se meu irmão me fere maldosa e propositadamente o que devo fazer?

Como cristão que sou não devo me sentir triste, chateado, ofendido e ultrajado. Devo suportar em amor, o amor que aprendemos em I Coríntios 13. A Bíblia também nos ensina que devemos amar nossos inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam e nos perseguem (Mateus 5:44).

Então este deve ser o comportamento de todo verdadeiro cristão; se não é assim deve-se buscar em Cristo que seja.

E quando ao me exortar meu irmão fere meu sentimento?

Para esta situação transcrevo aqui um trecho do texto de Luciano Subirá que acredito ter saído do coração de Deus, recomendo que leiam na íntegra, o título é Fira-me o justo:


“Fira-me o justo, será isto uma benignidade; e repreenda-me, isso será como óleo sobre a minha cabeça; não recuse a minha cabeça…” (Salmo 141.5)

Deus não quer ver seu povo doente e nem sofrendo, mas há uma espécie de ferida que produz cura, e essa deve ser praticada pelos cristãos.

Referia-se ao desconforto (e até mesmo dor) que é produzido pela repreensão.
E, apesar de se referir a algo aparentemente ruim, ele menciona as bênçãos provenientes desse ato: “e me será por benignidade; … será como óleo sobre a minha cabeça”. Todos precisamos ser ministrados através de outras pessoas, e isto envolve não apenas ouvir palavras amáveis de encorajamento, mas também, quando necessário, palavras firmes de repreensão e correção.

“Melhor é a repreensão aberta do que o amor encoberto. Fiéis são as feridas dum amigo, mas os beijos dum inimigo são enganosos.” (Provérbios 27.5,6) 

As Escrituras Sagradas declaram que a repreensão aberta (fruto de amor sincero de uma pessoa franca) é melhor que o amor encoberto (que não se manifesta por nunca ter coragem de falar a verdade). 

“O que repreende a um homem achará depois mais favor do que aquele que lisonjeia com a língua”. (Provérbios 28.23) 

A verdade deve ser dita. Pessoas que amam devem corrigir e repreender os seus amados. As feridas de amor (provocadas pela repreensão) são mais valiosas que os beijos da falsidade (do fingimento de quem não quer contrariar ninguém).

Pois é isto, irmãos!

Devemos nos esvaziar de todo sentimento ruim, de toda ira, de toda arrogância, de todo rancor, e carregar a nossa cruz.

Nos lembrar sempre que quando somos julgados pelo irmão, estamos sendo repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados (I Coríntios 11:32).

A Paz !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixa a impressão que domina seu espírito saltar de si.