5 de abr de 2010

Silêncio


Hoje prefiro o silêncio!
Não sei por quanto tempo vou estar assim, em silêncio.
Quieta, calada, sem fazer ruído algum.
Parada, pensando em nada.
Por que pensar dói.

Não quero conselhos, nem palpites, nem opiniões...
O que eu quero, já não posso ter.
E quem me disse que me era permitido sonhar?
Fui longe demais até!

Neste meu silêncio, quero sofrer cada segundo do dia, a cada vão pensamento.
As lembranças serão doces torturas...
Hoje tão intensa é a dor.
Haverá um dia que não mais doerá?
Não sei.

Sei que será pra sempre...
Sempre um prazer viver o meu silêncio.
Nem mesmo a maior dor me tirará a vontade de permanecer nele, em meu silêncio.
Vivendo e revivendo o que não pude viver.

Meus olhos hoje são cachoeiras próximas ao delta do meu rio interior.
De onde minhas lágrimas caem, ao findar caminhos de sentimentos tão belos, felizes e tristes.

E este silêncio profundo e melancólico será pra sempre minha maior alegria.

3 comentários:

  1. Ás vezes a melhor coisa é silenciar as palavras, os momentos, e deixar que tudo aconteça conforme à vontade de Deus.
    Ele é sabedor de tudo!
    Muito bom mesmo!!
    Abraços,
    Ataniel1

    ResponderExcluir
  2. Amiga,

    Que versos lindos! Refletem as palavras que não consegui dizer. Agora. Tudo que sinto e não sinto também, como o vazio que só pode ser interpretado através do silêncio.

    Beijos
    E saudades

    ResponderExcluir
  3. Mt bom Márcia,achei mto legal seu blog. Reflete um pouco da sua personalidade.
    Bjsss!
    Luciana

    ResponderExcluir

Deixa a impressão que domina seu espírito saltar de si.