17 de fev de 2010

O Medo

De nada vale passar a vida inteira com medo de morrer.

Conjecturas sobre o fim...
É certo que virá.
...deve ser rápido e indolor. Silêncio.

Não espere recompensas,
Mesmo que tenhas a convicção de que elas virão.

Viva o tempo que medeia,
Intensamente e não desregradamente

Importa-te com o caminho a percorrer
Com a retidão dos pés ao caminhar

MedoAcredita!

Regozija-te
Orgulha-te
Emociona-te
Atreva-te
Dedica-te
Alegra-te

Ama!

Que antes do novo começo, tudo seja tão belo quanto importante a teus próprios olhos.

2 comentários:

  1. Márcia, o medo é nosso maior inimigo.
    Tolhe nossos sonhos e desmorona nossos castelos.
    E para evitá-lo (ou fugir de suas armadilhas) é agir como tu o dizes: com o viver o dia a dia confiando, sentindo, deixando-se guiar pelas mãos amorosas do Senhor.

    Sábio poema, além de belo.

    Beijo e boa noite a ti

    =)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Ana!

    Você teve a sensibilidade na exata medida, para compreender-me. ;D

    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixa a impressão que domina seu espírito saltar de si.